Breve fábula.



Quando eu tinha meus dez anos, manifestou-se em mim uma revolta íntima que me levaria por certo a um perigoso complexo de inferioridade. É que não me conformava com a pobreza em que vivíamos, a ponto de magoar meus pais. 

Certa ocasião, nas vésperas do natal, papai comprou-me um par de sapatos, de qualidade inferior.

Quando cheguei em casa, chorei amarguradamente, pois desejava um de melhor qualidade, como alguns dos meus companheiros e vizinhos, para apresentar-me na festinha da escola. 

Quando me acalmei, mamãe, que tinha procurado convencer-me de que não faria má figura, saiu comigo, levando embrulhado, sem que eu percebesse, o meu par de calçados velhos. 

Ia cumprir a promessa que fizera a uma amiga de levá-los ao seu filho, mais ou menos da minha idade, pois o pai dele estava desempregado. 

Antes que ela me dissesse qualquer coisa, compreendi que a tragédia do menino era bem maior do que a minha. 

De volta, carinhosamente, mamãe comentou aquela boa lição que se gravou de maneira indelével em minha alma e até hoje me serve de estímulo, nos momentos de dificuldade: "A nossa desgraça, se avaliarmos bem, é sempre menor que a do nosso próximo''.


Fonte: http://www.uol.com.br

17 rabiscos:

  1. Certamente amiga, sempre devemos olhar ao nosso redor, e perceberemos que muitos estão em pior situação que a nossa, que as vezes é até café pequeno perto dos outros.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Que bom, Deny!!! Fico imagindo o lindo sorrio, que você tenha um bom dia!!! Obrigada por seu bela visita. Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Graças a Deus nunca me faltou nada, mas as coisas nem sempre foram assim na minha família. Por isso mesmo, acabei crescendo ouvindo exemplos de perseverança em momentos de dificuldade. Sempre que eu achava ruim ter que dividir as coisas com minha irmã, sempre vinham aquelas histórias de que o que eu ganhava sozinho, antigamente tinham que ser divididas pra sete.

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga.... sabe eu nunca fui muito a favor de olhar as desgraças alheias para amenizar a nossa... cada um tem suas vicissitudes, e é a maneira como as vivenciamos que faz a diferença...
    No entanto, linda forma de ensinar a desta mãe... mostrando exatamente isto, que a importância de algo está nos olhos e no coração de quem a recebe!
    Em minha casa, desde que meu filho tem 2 anos, sempre que ele ganha um novo brinquedo, separamos dois para entregar as crianças menos contempladas com a facilidade financeira.... e isto tem estimulado nele a grandeza de compartilhar....
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  5. Olá Deny querida!
    Eu acredito, minha linda, que cada um de nós passa por suas dificuldades e é natural questionarmos e até sentirmos-nos injustiçados, porém, se olharmos atentamente ao nosso redor, veremos que somos abençoados em pequenas coisas que aos olhos dos outros são grandes bênçãos! Eu já passei por situações em que a "desgraça" alheia me causou alívio. É a vida!
    Grande beijo, minha querida!
    Jackie

    ResponderExcluir
  6. Nossa que lição...
    As vezes ou muitas das vezes reclamamos de barriga cheia

    ResponderExcluir
  7. Olá querida amiga!
    Deni,muita linda a mensagem!
    Devemos olhar para os lados pois existem pessoas sofrendo muito mais que nós.
    Não somos os únicos,e nem seremos os últimos!
    Devemos agradecer por tudo!
    Acredito que a grande vitória na vida!
    É ser uma pessoa grata por tudo!
    Bjos em seu coração!

    ResponderExcluir
  8. Importante reflexao, principalmente para os adolescentes que tudo querem, mas é importante compeender que nem tudo teremos.

    ResponderExcluir
  9. Olá gatíssima !!!

    Muito interessante esta reflexão !
    Todos passamos por dificuldades, isto é inevitável !
    Mas temos que aprender a não cultivar a revolta e nem o sentimento de que somos os únicos no mundo a sofrer, isso é até egoísta !
    Um dia somos nós, amanhã é um amigo, ontem foi outra pessoa e assim é a vida, temos é que aprender a lidar com isso e valorizar o que temos de bom ! ;)

    Um beijãzãoooo

    ResponderExcluir
  10. Deny

    Bela história. Lembro-me, de certa vez, após cair um tombo na escola, conquistar um rasgo em minha calça de uniforme. Minha mãe, impossibilitada de comprar outra, costurou-a. Durante muito tempo chorei de vergonha por causa disso. Mas, com o tempo,compreendi a situação.

    Não é o que "temos", mas sim o que "somos" que realmente importa.

    Um abraço,
    Michele

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Deny!

    Ótimo post, como sempre se superando.
    Este gênero de texto é um dos que eu mais gosto, pois faz, as pessoas refletirem na vida e também aprender.

    ResponderExcluir
  12. é triste comparar nossos problemas com os alheios, mas às vezes isso conforta.
    beijo enorme :*

    ResponderExcluir
  13. Deny querida
    Se avaliarmos nossas vidas deste modo sempre encontraremos motivos para reconhecer a nossa felicidade.
    E felicidade é simplesmente ser, nem sempre é o ter
    Lindo demais
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá amiga Danielly, passei por aqui para prestigiar suas belas postagens e aproveitei para me tornar um seguidor do seu caprichado blog,
    abçs e Sucesso sempre,
    Marivan

    ResponderExcluir
  15. Boa Deny !!!!
    às vezes o ruim para nós é o sonho de muitos outros !!!
    Parabéns pelo texto !!!!!!
    Bjussssssss

    ResponderExcluir
  16. Olha só Deny, que bela história, hoje me deparei com uma pessoa que ajuda os outros e a cada história percebemos como temos tanto em meio a tanta gente ainda, como nos arrependemos de tanta coisa que falamos quando olhamos ao nosso redor!! Muito bonito!! Beijos!

    ResponderExcluir

Leio, logo critico!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...